ANTEPRIMA DE CHICAFUNDÓ vai à universidade

Umas das maravilhosas visitas de Perúgia foi à Università dei Sapori, onde o professor  Andrea de Pioppi ministra classes, e só pelo nome já dá imaginar o que não foi este passeio.

 

A Universidade do Sabor é uma escola toda envolvida na arte da gastronomia, tem vários cursos de diversos níveis de especialização, desde cursos de como aprender a plantar, educação alimentar, até como fazer um crème brûlée pela metade do tempo habitual, de sorbet e de análise sensorial e degustação de vinhos e de queijos.

Este mosteiro do século XXI, no coração da cidade medieval de Perúgia é onde se pode perceber a sensível relação entre  a arte, a natureza, a espiritualidade, a cultura e as tradições gastronômicas.
Portanto aqui se aprende muito mais que técnicas ou mesmo qualidades alimentares, mas se tem principalmente um olhar voltado para a cultura e valorização  dos produtos locais, para assim proporcionar aos estudantes uma interpretação mais global dos alimentos.

 E  ANTEPRIMA DE CHICAFUNDÓ teve a oportunidade de sentir toda esta energia no coração verde da Itália.

Cucina dei Sapori



ANTEPRIMA DE CHICAFUNDÓ visita Il Forno di Pioppi

Il Forno di Pioppi nasceu em 1966, do sonho e do grande desejo de um jovem padeiro em fazer por conta própria. Sestilio Pioppi começou a fabricar pães, a acordar todas às noites para embrulhá-lo com amor e a vender pelas redondezas.

 

Foi assim que a empresa evoluiu e se fortaleceu. Hoje toda a família contribui para a sua expansão, que já conta com o trabalho de mais dez funcionários.

A cada amanhecer Il Forno di Pioppe convida Perúgia a saborear uma grande variedade de produtos, são: pães de diversos formatos e sabores, tortas, doces e pizzas que encanta quem passa por Mantignana di Corciano.

Torta di Pasqua

 Um dos produtos que mais orgulha a família Pioppi é a tradicional Torta di Pasqua – o bolo de Páscoa que hoje resgata o sabor antigo para assim poder ser consumido em qualquer época do ano espalhando bondade e amor.

Conforme conta a lenda a Torta di Pasqua foi consumida por todas as famílias da província em um domingo de Páscoa, cujos ovos utilizados para o preparo do bolo foram abençoados no Sábado Santo trazendo bondade para os lares de Perúgia.

 

A visita realizada ao Il Forno di Pioppi foi realmente maravilhosa pois além de saborear um delicioso sonho de creme que acabava de sair do forno oferecido pela Sra. Bruna Pioppi, conhecemos todas as dependências da fábrica e a loja com mesinhas aconchegantes para fazer um lanche no local.

O mais impressionante foi perceber tamanha  produção para fornecer pães, tortas, sonhos, cornetos e todos os outros produtos doces e salgados de confeitaria, padaria e pizzaria para toda a região.

Para ter uma ideia a farinha é comprada em silos…..Imagina só a tonelada de farinha que é consumida por mês.

Mantignana di Corciano onde está localizada a empresa fica em um morro de Perúgia dominado por três altas montanhas: Monte Malbe, Monte Tezio e Monte Acuto, na região de Úmbria na Itália Central .

Café da manhã tudo de bom

Despertar em Perúgia já é delicioso, imagina com este café da manhã pra lá de especial preparado por um especialista….

Tudo começa com música clássica seguida de  jazz e uma deslumbrante mesa repleta de uma variedade de opções que era difícil escolher o que comer primeiro. E nem preciso dizer que o pão e as outras gostossuras foram  feitas no Il Forno Pioppi

Linda mesa

E não ficava por aí, continuava com a seguinte sequência: Torta da Nona (coberta de amêndoas e recheada com creme mole aromatizado de limão), zuppa inglese em forma de rocambole, torta de abacaxi e panacotta com frutas vermelhas…Hummm….Inspirações para ANTEPRIMA DE CHICAFUNDÓ!!!

Sapori di Pioppi

 

A zuppa inglese é um doce de origem italiana, apesar do nome sugerir outra procedência, é bem  provável que tenha surgido na Itália por volta de 1500, como uma adaptação de um doce inglês do Renascimento – o  trifle – considerado o pai  de todos os doces, feito de creme e biscoito, regado com bebidas alcoólicas.

Focaccia em Perúgia

Já que agora vocês já conhecem a Pasta Madre de CHICAFUNDÓ e suas origens vamos voltar a Itália e a nossa gostosa recepção em Perúgia - Focaccia com drink – preparada pelo mestre Andrea Pioppi. Sim aquele mesmo do Dia do Professor, que além de nos mostrar muitas coisas pelas rendondezas nos preparou delícias gastronômicas.

Uma focaccia tradicional com um drink de pomelo, campari e água tônica. Uma verdadeira maravilha de Perúgia de Pioppi.

 

Focaccia é uma massa de origem italiana, achatada  e macia, coberta com sal grosso, azeite de oliva e alecrim, que é normalmente consumida  no desjejum ou como aperitivo.

O BIMBO

É com grande alegria que apresentamos a vocês o BIMBO – a pasta madre do CHICAFUNDÓ,  que já tem história para contar desde o dia em que nasceu em uma tarde de outono, no mês de maio de 2010 na sala de Padaria e Confeitaria do prédio do Centro de Educação Profissional São João Calábria na Rua Aracaju, nº 650, no Bairro Nonoai, em Porto Alegre – Rio Grande do Sul – Brasil, na aula do professor Andrea Pioppi ministrante do curso P.A.R.T.I promovido pelo governo italino em Porto Alegre.

Logo  foi para a sua residência no Bairro Moinhos de Ventos, onde ficou até setembro de 2010, quando foi passar uma temporada no Bairro Higienópolis, que foi tão bem tratado que  até foi dar uma banda por São Sepé /RS.

Neste período os  “filhotes” do BIMBO foram disseminados para alguns amigos.

No fim da semana passada retornou para o Bairro Higienópolis e esta semana estará encerrando sua epopeia chegando ao seu destino  – o BISTRÔ CHICAFUNDÓ – na Bordini, nº 232, no Moinhos de Ventos.

E com certeza vai trazer muitas saborosas alegrias para todos nós.

O pão que une

Foi ontem no Dia Internacional do Pão que apresentamos a vocês a origem dos pães do CHICAFUNDÓ, que nada mais é do que um ritual amoroso mantido todo dia para nutrir o sabor de um futuro alimento.

Devido sua tão antiga origem se tem dificuldade para precisar o surgimento exato do pão, porém estima-se que tenha surgido há cerca de 12 mil anos, juntamente com o cultivo do trigo, na região da Mesopotâmia, onde atualmente está o Iraque.

Já por volta do ano 7.000 a.C os egípcios foram os primeiros a usar fornos de barro para assar o pão, a eles também se atribui a descoberta do fermento, responsável por deixar a massa do pão leve e macia como conhecemos hoje.

Na Europa o pão chegou em 250 a.C. e não demorou para ele se tornar o principal alimento da Roma Antiga, sendo preparado em padarias públicas. Com a expansão do Império Romano o hábito de consumir pão foi difundido por grande parte da Europa.

E foi novamente do calcanhar da Itália a origem de um projeto muito interessante que contamos para cerebrar o Dia do Pão – a Pasta Madre saiu na quarta-feira ,15 de abril de 2009, entre o Vale Trulli Itria para percorrer a Europa.

É um projeto – uma ação conceitual – um New Ritual – para um planeta em crise, é uma espécie de ação de comunicação real, um alimento para o corpo e para a alma, que possa reconstituir a história e ir além da troca de hospitalidade para criar elos afetivos. “Corte o pão …  sobre o tempo de recessão”

“Queremos com esta Pasta Madre traçar as casas como uma forma, um sinal, uma palavra, um pensamento, um cheiro, uma história, uma poesia, uma vida e trazer a experiência anterior para o próximo, através de uma imagem, um símbolo, um sabor”

A ideia dessa peregrinação é reunir os sinais da humanidade a fim de passá-la de país para país – de casa em casa. Em casa! No sentido de que o pão se torne o símbolo da casa, em cada lugar ter uma agradável e quente “família”.

A pasta madre vai se regenerando com farinha local, para conter a vida local no mesmo pão e vai tomando outros caminhos para outros países e continentes.

“Como uma mãe, um útero ela cresce durante a viagem entre os seus filhos dispersos sobre a terra, é assim alimentada por histórias, experiências e vidas”

Este projeto foi criado para ser um bom presságio, rico em história e experiência, irá certamente continuar a viver e seguir sua excursão pela Europa e quem sabe para poderá ser compartilhado com o restante mundo.

Pasta madre de CHICAFUNDÓ

A pasta madre nada mais é que uma massa de fermentação natural e espontânea também chamada de massa ácida que se obtém a partir de frutas, geralmente maçã ou banana. Este fermento precisa ser alimentado por no mínimo 90 dias para que então comece a ficar bom para ser incorporado em receitas de pães substituindo o fermento biológico.

Mas o mais fascinante que tem nisso tudo é a ideia desse fermento carregar história, cultura e tradição por anos a fio, existem algumas pela Itália, pela França e inclusive perdidas por São Paulo que já tem mais de 100 anos e foi exatamente isso que estimulou Elisa Prenna a criar a pasta madre de CHICAFUNDÓ que hoje é carinhosamente chamada de BIMBO.

“Eu obviamente, prefiro minha interpretação de que é lindo o nome Pasta Madre e só de pensar que no meu pão tem isso já acho ele mais delicioso, mais rústico, enfim a história e a ideia a tradição me encantam”

ANTEPRIMA foi verdadeiramente a pré-estreia de quase tudo….pois durante às tardes de preparação dos jantares ANTEPRIMA tínhamos o momento de cuidar, alimentar e renovar o BIMBO, que nasceu da aula do professor Andrea Pioppi e foi feito a base de maçã.

Agora você já conhece a história da Pasta Madre de CHICAFUNDÓ que vai dar um toque especial nos pães, bolos, pizzas, e outros tipos de massas que forem criadas por aqui.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.